pain

CBLOL 20 | Tinowns e esA comentaram sobre a classificação para a final

“Então fomos com todas as nossas forças, mentalmente, emocionalmente e no final todo mundo liberou isso e foi bem legal.”

Após a uma emocionante série na primeira semi final do 2º Split do CBLOL 2º split, que teve como vencedora e primeira finalista a PaiN Gaming pelo placar de 3×2 contra a Prodigy Gaming, esA e Tinowns participaram da coletiva de imprensa e responderam a perguntas sobre a série. Confira a conversa com os jogadores:

Vocês podem falar do sentimento de missão cumprida e como foi essa decisão de Blitz para o último jogo?

esA: Acho que ainda não estamos com o dever cumprido, claro que temos um grupo forte, desde a fase de grupo nós demonstramos bons jogos, então só vamos ficar satisfeitos com o título. Quase faltou coragem para lançar o blitz, pra ser bem sincero, mas o time apoiou a ideia, inclusive não era eu que estava cogitando a ideia, eles que cogitaram, eu só aceitei. Acho que foi mais a iniciativa do time do que minha mesmo.

Tin: Eu concordo com o esA, e eu acho que a PRG era um match mais difícil pra gente, porque o estilo de jogo deles batia bastante contra o nosso, e deu no que deu, 3×2 pra gente, estamos bem feliz que deu tudo certo, e é ir pra final com a mesma mentalidade.

Tinowns, já faz pelo menos 4 anos desde sua última participação numa final de CBLOL. Você acha que essa é a sua oportunidade de dar a volta por cima e voltar a ganhar a competição?

Tin: Com certeza. Desde que entrei na PaiN o meu objetivo era ganhar título com eles, e não foi bem assim, tive um caminho bem difícil até aqui, mas agora com o time, elenco e comissão que temos, eu acho que a gente consegue ir bem mais longe. Vejo que a minha fase individual também estou bem melhor, conseguindo comunicar mais com o time, jogar mais com o time, e estou bem feliz com tudo, com resultado, com o treino, com o individual, com o grupo, mas ainda acho que tenho muito a evoluir, que não cheguei no meu máximo e é chegar melhor agora pra final.

Tin, no twitter tem muita gente falando que você atualmente é o melhor jogador do Brasil, queria que você comentasse um pouco sobre isso.

Tin: Cara, eu sempre vou me achar o melhor, porque eu sou pro player, mas quem tem que achar é o público, os casters, então não sei. Foi o que eu falei, eu to jogando muito bem, como time, como o grupo, individualmente. Mas ainda tem jogos que eu perco, em rotação, ou seja o que for, ainda não estou no meu 100%, mas quase lá. Um exemplo é meu jogo de Azir, acho que não joguei tão bem. E em uma md5 ter um jogo ruim assim não é o ideal, então eu espero ser mais constante, melhorar bastante e ter uma final mais tranquila talvez.

A PaiN não chega há um bom tempo já a uma final de CBLOL e não ganha desde 2015. Vocês sentem que esse é o ano da PaiN, e estão confiantes para a final?

esA: Com certeza estamos bem confiante para a final, sabíamos que essa semi final provavelmente seria o jogo mais difícil, pelo mostrado na fase de grupos que a PRG demonstrou bons jogos contra a gente. A gente não se sente pressionado pela PaiN não ter título há um bom tempo porque é um novo elenco. Sabemos que a PaiN tem essa tradição, essa história, mas nossa equipe está bem centrada, sabemos o potencial dessa line up e vamos fazer nosso melhor pra conquistar esse título pra PaiN, que é a organização que merece.

A PaiN tem esse elenco principal, mas vocês também tem o Kami e o Wiz, que a gente não sabe muito que vai dar em relação a ele por causa da Pandemia. Sobre ele, mesmo distante, o Wiz consegue ajudar no planejamento do time, nos treinamentos, ele conversa com o CarioK, se ele participa de alguma forma do dia a dia da PaiN?

esA: Particularmente nós não podemos passar muita informação do Wiz, isso é questão da organização. Ele não tem acompanhado os treinos recentemente. Mas mais questões do Wiz a gente da equipe não tem informação pra passar.

Qual foi a importância da sinergia de vocês para se recuperar após o quarto jogo?

Tin: Nos primeiros jogos nós deixamos eles impor muito o jogo deles, acabou que em alguns jogos a gente ganhou nas lutas, mas não conseguimos parar o que é forte deles, que é dar a vantagem pro fNb, e não usamos muito o nosso forte que é o bot, então deixamos um jogo muito apático por nossa parte e eles conseguiram fazer o jogo deles early game. Nesse quarto jogo testamos muitas coisas diferentes e acabou que não tivemos muita chance, acho que todo mundo individualmente não performou tão bem, e no quinto jogo acho que viemos com uma mentalidade diferente, não fizemos o mesmo draft nem a mesma mentalidade de só tentar defender o top, que é a maior força deles. Nesse último jogo divamos o bot, fomos mais pró ativos, pegamos o arauto, acho que a primeira vez na série. Era tudo ou nada e nós fomos com o nosso melhor, e acho que isso foi o diferencial do nosso quinto jogo.

Os jogos que a PRG ganhou eles tiveram muita vantagem, como ficou a mentalidade após perder a primeira e a quarta partidas?

Tin: O primeiro jogo é um que mais os times se estudam, as prioridades, o que vão fazer. A PRG não criou nada de diferente, eles pickaram Renekton que era norm,aç, a gente estava preparado para uma Elise deles talvez. Acho que o primeiro jogo a gente só jogou muito mal, acho que nosso draft não ficou tão bom quanto o deles também, isso complicou bastante. Depois do quarto jogo foi o que eu falei, nós viemos com mentalidade totalmente diferente pro quinto jogo, a gente viu que só ficar respondendo eles não daria tão certo, tentando defender top lane, nos outros jogos não deram certo e no quinto também não ia, a gente ia ficar perdendo arauto, e isso ia ser muito ruim pra gente então entramos mais pro ativos desde os picks, o pick da bot lane foi essencial pra isso, pickamos jhin e counteramos thresh com blitz. Nos outros jogos nós não faríamos isso. Nós viemos mais agressivos com Jhin, Zoe e Blitz, são lanes bem fortes e acabou dando certo, conseguimos criar, rotacionar, pegar o arauto, e com isso foi o snowball e fomos fightando melhor e deu muito bom.

esA, vocês tinham jogadores muito experientes e muito frios na hora que vocês precisavam pra virar uma série e se recuperar de uma partida one sided como aquela. O CarioK era um jogador menos experiente, como você viu o mental dele, pra ele saber onde tinha que estar, pra ser constante, queria que fizesse uma análise dele.

esA: Como você disse, temos jogadores bem experientes, então dentro de jogo e fora de jogo nós conversamos bastante, o que estamos errando, o que deu certo, o que pretendemos fazer, o que eles pretendem fazer. Então todas essas conversas que fizemos do primeiro jogo ao quinto, acho que isso tranquilizou bastante o carioK, a gente fez rodinha de conversa, dar aquele ânimo. Eu, particularmente, senti o carioK bem tranquilo, tanto em comunicação dentro de jogo como fora de jogo, então nós cinco mesmo tomando um stomp na quarta partida a gente conseguiu ter resiliência, manter de cabeça firme e conseguimos dar a volta por cima e mostrar um bom jogo no game cinco.

esA, depois de tantos vices que você tem na sua carreira, como é estar mais uma vez numa grande final do cblol e como sua cabeça tá pra chegar nessa decisão?

esA: Pra ser bem sincero, eu nem ligo se tenho vários vices na carreira ou não. Acho que esse elenco tem tudo pra ser campeão, então to bem tranquilo, não tenho essa aura de negatividade. Todo mundo ta bem confiante, temos o TT e o Robô que são campeões natos, eles tem bastante título, estou bem confiante. Nós esperávamos que essa série fosse ser bem difícil, porque era o pior confronto pro nosso estilo de jogo. Claro que Kabum e INTZ tem bastante potencial, mas a gente teve mais facilidade de jogar contra eles na fase de grupo, então estamos bem confiantes para final.

Raphael pelo Cabana do Leitor: Aproveitando que você falou de estilo de jogo, ao longo de toda etapa, a PaiN mostrou bastante um estilo de ter um early forte quando ganhava, ao mesmo tempo, as partida em que perdia, era quando a PaiN não forçava. Pra final a ideia de vocês é continuar treinando pra ser ainda mais devastador no early game, ou é tentar corrigir esses pontos mais fracos que acontecem quando vocês não se impõe tanto?

Tin: Então, falando sobre o estilo de jogo, acho que agora não é um momento tão certo pra treinar esses últimos detalhes, obviamente, vamos ter duas semanas, mas acho que o que nós treinamos o split inteiro vai ser o espelho da nossa final. Claro, a gente vai melhorar algumas coisinhas de early game, de mid game, de teamfight, mas acho que agora não tem muito tempo pra inventar coisas novas. Vamos jogar no nosso maior estilo, na nossa maior força e tentar levar isso pra final da melhor forma. Foi o que comentei, contra a PRG o estilo de jogo deles era bem parelho com o nosso, eles vinham com early game que era muito forte, mas em vez de vir pro bot eles vinham pro top, e acabou que o único jogo que a gente bateu cabeça de verdade foi no quinto jogo. Acho que a gente tem que apostar sim nessa nossa força de early game e tudo mais.

Sobre essa série de hoje, foram cinco jogos, porém tiveram jogos mais fáceis e jogos mais difíceis, e o quinto foi o mais equilibrado. Vocês acham que um jogo ter mais vantagem pra um time ou pro outro foi questão de execução, de draft, foi questão de fator externo, ou foi mérito e demérito dos times, para que teve tanta disparidade de um jogo e outro e acabou culminando no último jogo ser mais equilibrado?

esA: acho que cada time teve um planejamento, no começo da série a gente tentou bater de frente com eles no jogo deles. A gente viu que tava funcionando porque a gente conseguiu sair com vitória no segundo e terceiro jogo, mas os jogos estavam sendo bem difíceis, aí eles estavam fazendo o planejamento deles de jogar pro fNb, jogar pro dyNquedo então estava parecendo que quando eles ganhavam era muito fácil pra eles, porque eles estavam impondo esse ritmo bem agressivo deles, e a gente estava apenas respondendo as jogadas, tentando bater de frente com o estilo deles e não estávamos usando nossas forças. Então acho que só no jogo cinco a gente conseguiu mudar o planejamento pra fazer nosso estilo de jogo, não importa o que eles estavam fazendo. Acho que durante os quatro jogos nós fizemos mais o jogo deles e no game cinco foi quando a gente decidiu fazer o nosso e acabou dando certo.

Como foi a reação de vocês, a gente sabe que não é mais um Dark brTT que grita tanto, só que imagino que com tanta coisa valendo, queria saber se gritaram bastante, se filmaram esse momento, se só se sentiram aliviados, como foi o momento final?

Tin: Então, tem um vídeo no twitter da PaiN pra quem quiser ver. Mas a gente começou a gritar, a bater palma, porque a gente sabia que era nossa última chance, tinha que ganhar ali pra ir pro mundial. Então fomos com todas as nossas forças, mentalmente, emocionalmente e no final todo mundo liberou isso e foi bem legal.

Agora a Pain Gaming aguarda o resultado de INTZ e KaBuM eSports para conhecer seus adversários no próximo dia 05.

Total
0
Shares
Previous Article
BURN THE WITCH 2x3 min 1

BURN THE WITCH | Novo lançamento da Crunchyroll

Next Article
Diana LOR

Diana e Leona são as novas campeãs em Legends of Runeterra

Related Posts
Ea play 2
Leia

EA Play Live em Julho

A EA relatou que seu evento EA Play volta para 2021. O que chama a atenção é que,…
Total
0
Share