Connect with us
Avatar

Published

on

Eu demorei a entender o que queria falar aqui neste espaço, pois o legado de Chadwick Boseman significa pra mim uma coisa além da capacidade de transmitir isso em palavras.

Pantera Negra, foi a primeira produção de grande orçamento do cinema a colocar no banco dos realizadores somente pessoas negras. Fui a cabine de imprensa no ano de seu lançamento, não esperava muita coisa, mas ao fim da sessão, eu e Karolen Pasos (jornalista do site CinePOP e fundadora do site LesB Out! ) estávamos com os olhos cheios de lagrimas.

Foi somente em Pantera Negra que eu me descobri negro, somente neste filme (demorou anos, mas aconteceu). Antes, eu tinha certas linhas de pensamento completamente destoantes da minha realidade social. Apesar de ser dono de um site com determinada relevância, ter diversos colaboradores maravilhosos, ter parcerias com diversas empresas, pouca gente sabe que eu moro em comunidade (morro) na zona norte do Rio de Janeiro. Já conversei com representantes de empresas por telefone e ao fundo os tiros eram ouvidos. E mesmo diante de uma realidade tão destoante destas empresas, e até mesmo da maioria dos meus colaborares, eu olhava o movimento negro como algo que não me representava.

Em resumo, eu era preconceituoso com minha própria origem. Eu quando mais novo comprava produtos químicos para cabelo (não era formol) para deixar o cabelo liso, pois cresci ouvindo da minha família que “cabelo liso que é cabelo bom”, que tinha que casar com mulheres brancas para “clarear a família”. Certa vez estava vendo a série 24 horas e ela tinha como um dos principais personagens um presidente negro, chamado David Palmer (isso antes das pessoas saberem que Obama existia) interpretado pelo grande ator Dennis Haysbert, e na tentativa de convencer meu pai a ver a série, ele então me disse “Um presidente preto, nunca vi isso”. Minha família e eu éramos vitimas do racismo estrutural, assim como hoje sou vitima do machismo (mulheres muito mais, sem comparação, mas homens também são vitimas pois isso afeta as suas relações interpessoais, ou seja, ninguém ganha), que cada dia eu luto para minar isso de dentro de mim.

Porém Chadwick Boseman veio com seu Pantera Negra, e me resgatou do vale da sombra da morte, do Umbral, como se ele fosse um anjo enviado pelo criador para me salvar. Chorar em Pantera Negra, foi como se ali começasse o meu ponto de partida. Antes, eu não tinha objetivos de melhorar, ou de tentar ser uma pessoa melhor para as meus amigos, antes eu era cego, hoje posso dizer que enxergo, porém como no mito da caverna, a luz muito forte pode deixar a visão um pouco embasada e tropeços são comuns mas não devem ser repetidos na mesma pedra.

Este artigo não foi para dizer que Chadwick Boseman é um ótimo ator, até porque isso é notório, mas sim para dizer que o Rei de Wakanda me salvou. Mas, o maior símbolo da minha virada como pessoa se foi, o meu Rei.

Porém, neste momento eu lembro de uma ordem. O Rei grita para seu povo e suas tropas, “YIBAMBE!” Que significa:

MANTENHA-SE FIRME!

Advertisement
Comments

Parceiros Editorias

Mais lidas