Share

Crítica – Compartilhar “um drama que nadou, nadou e morreu na praia”

A estreante Pipa Bianco traz um tema delicado que erra em um desfecho que poderia ser melhor e mais desenvolvido.

Ao longo dos anos a discussão sobre abusos sexuais tem deixado de ser um tabu e passou a ser discutido com mais frequência. Nesses últimos anos tivemos diversas denúncias de celebridades que sofreram algum tipo de abuso dentro de estúdios de Hollywood, como não lembrar do caso de Harvey Weinstein onde celebridades como Angelina Jolie, Cara Delevingne, Eva Green entre outras atrizes que sofreram abusos pelo produtor. Em meio a esse escândalo em Hollywood as escolas, universidades, baladas e etc, não ficam de fora e já testemunharam diversas cenas em que garotas inconscientes são violadas e alguma das vezes são gravadas e o conteúdo jogado na internet e compartilhado pelos próprios amigos.

No filme Compartilhar, uma festa entre alguns colegas acaba de maneira ruim para a jovem Mandy (Rhianne Barreto), que estava inconsciente e cercada por outros jovens garotos que acabam se aproveitando de seu corpo, que estava ali jogado no chão e nu da cintura para baixo. Ela passa a ser motivos de piada no material que circula de uma forma muito rápida entre todos estudantes da escola onde ela estuda. Agora a talentosa jogadora de basquete Mandy se vê no centro de uma polêmica, onde todos não acreditam nela, inclusive a escola.

cq5dam.web .768.432

O filme é dirigido e roteirizado por Pipa Bianco, que traz uma discussão de que como as garotas são tratadas dentro e fora das escolas. O longa tem como ponto chave a luta da garota quando ela decide se pronunciar sobre o abuso que sofreu e que acaba ficando pior por ela não lembrar muito bem de quase nada do que aconteceu naquela noite. O filme também aborda a reação da família que fica ao seu lado e luta junto com ela para que seja descoberto o que realmente aconteceu com a jovem.

Compartilhar peca em apenas ter como tema central a parte da denunciante e não passa disso e acabamos vendo o sofrimento que pode causar de fato a vítima, já que no longa isso é deixado de uma maneira bem explicita. Pipa poderia ter trazido algo mais parecido com a 1º temporada de 13 Reasons Why por exemplo. O sentimento que tivemos após assistir o filme foi revolta por ter acontecido tudo o que aconteceu com ela e choque por trazer cenas fortes que remetem bem o que acontece no mundo real.

O longa não passa disso, tem um assunto que poderia ser melhor tratado mas fica na mesmice e não traz nada do que vimos em outras séries, filmes e documentários. É só mais um filme que teve oportunidade de trazer algo grandioso e mostrar de como a mulher pode ser forte e receber apoio ao denunciar casos como que é visto na trama.

O longa estreia nesta segunda (5) às 22 horas no canal HBO.

Share

5

Nota

5.0/10

Pros

  • Tema Abordado

Cons

  • Desfecho do trama
Total
0
Shares
Previous Article
the 100

The 100 - A série chegará ao fim na sétima temporada

Next Article
Caca Fantasmas 3

Caça-Fantasmas 2020 | Carro famoso é visto em set

Related Posts
oxigenio
Leia

Crítica | Oxigênio

A ficção científica francesa impressiona ao se expandir tanto no macro quanto no micro.
monstro
Leia

Crítica | Monstro

Intenso, o filme discute a vulnerabilidade da juventude e os preconceitos ainda presentes na sociedade.
maes de verdade
Leia

Crítica | Mães de Verdade

O drama japonês não encara a maternidade como algo mais amplo do que a biologia e abusa de clichês na esperança de gotejar lágrimas da audiência.
Total
0
Share