Connect with us

Livros

Especial Stephen King | O Bazar dos Sonhos Ruins – part. 1

Avatar

27 de janeiro de 2018

64c10360 2161 47d2 b4bd 1b28af1f2055

Como falamos na publicação de ontem, você pode ler ou reler aqui, vamos focar esse especial do Stephen King na obra O Bazar dos Sonhos Ruins. Quem pensa que esse livro é uma história só, está enganado. O livro é uma coletânea de contos que o autor escreveu durante todo esse tempo, algumas inéditas e outras até já vistas, porém, como o mesmo diz, com algumas mudanças porque revisões sempre são feitas e acabam influenciando um pouco na história.

O livro contém 20 contos, bem diversos, alguns de terror, outros de suspense, uns mais bizarros e até mesmo um romance nada muito convencional e bem cara de Stephen King. O mais interessante é que antes de cada história o autor conta alguma curiosidade que o levou a escrever, o que o inspirou. Como por exemplo em Batman e Robin têm uma discussão, a ideia surgiu quando ele presenciou um quase acidente no cruzamento.

IMG 6813 e1516921815928

Um outro conto que tem um fato bem divertido é o conto Ur, em que ele fala que a história foi escrita para ser comercializada exclusivamente pela Amazon no novo serviço, no caso a empresa estava lançando o Kindle quando o convidou para escrever. Meio contrariado, ele demorou uma pouco para aceitar o pedido, mas acabou cedendo com a ajuda do seu amigo Ralph. A história é sobre um professor que, para acompanhar a tecnologia, acaba comprando um Kindle, porém na cor rosa. Por conta dessa peculiaridade na cor, King ganhou um modelo exclusivo do Kindle na cor rosa. Sensacional, né?

Um dos contos inéditos é Garotinho Malvado, que até então só tinha sido lançado em versão eletrônica na Franca e na Alemanha. E outro fato curioso é que a ideia do personagem foi tirada do clássico de Larry Williams, “Bad Boy”, porém na versão dos Beatles. A história é sobre um garotinho que é malvado apenas por ser malvado, e não o filho do demônio, que usava short e boné com hélice.

Além de contar curiosidades sobre a história, o autor também comenta muito sobre o processo de criação e como tudo isso funciona com ele. Em alguns casos a história surge por completa de uma vez só, mas em outros momentos é preciso esperar para que a xícara esteja completa, uma metáfora utilizada por King em boa parte do livro.

Escrever um livro de contos para ele é como “uma espécie de diário onírico, uma forma de captar imagens do subconsciente antes que desapareçam por completo.” Só sei que O Bazar dos Sonhos Ruins deixa um gostinho de quero mais para outras histórias curtas de Stephen King.

Apaixonada por histórias de época e com o sonho de viver em cada página que lê. Uma jornalista fascinada no mundo da literatura.

PUBLICIDADE
comentários