evo

EVO 2020 é cancelado após escândalo

“Estamos chocados e tristes por estes eventos, mas estamos ouvindo e comprometidos em fazer todas as mudanças necessárias…”

O EVO 2020 seria realizado remotamente de 31 de julho a 2 de agosto, mas depois de denuncias de abuso sexual do CEO da EVO, Joey Cuellar, o evento foi cancelado e imediatamente o substituíram. O ex-CEO admitiu as acusações em uma nota dizendo que se arrependia, que nunca queria ter magoado ninguém. “Era jovem e imprudente, fiz coisas das quais não me orgulho”, completou.

https://twitter.com/EVO/status/1278859734099963904

Esse é outro impacto do movimento “Me Too”, que se espalhou para a indústria de videogames. A Ubisoft é outra empresa envolvida em acusações de assédio. Durante investigação, dois executivos se despediram da administração.

Quanto à EVO, a empresa que organiza o evento, emitiu uma declaração anunciando uma separação completa de Joey Cuellar e nomeando Tony Cannon como o novo CEO e declarou:

“Estamos chocados e tristes por estes eventos, mas estamos ouvindo e comprometidos em fazer todas as mudanças necessárias para tornar o EVO um modelo melhor para uma cultura mais forte e mais segura”.

Mesmo antes do cancelamento oficial do evento em 2020, várias empresas relacionadas à comunidade de jogos de luta como Bandai Namco, NetherRealm Studios e Capcom, anunciaram que não participariam.

Total
0
Shares
Related Posts
Total
0
Share