Connect with us

cinema

Netflix | 10 filmes clássicos para assistir hoje

Hoje nós trouxemos uma breve lista com 10 filmes clássicos para você assistir na locadora vermelha.

Davi Alencar

6 de outubro de 2020

cena de clube dos cinco do diretor john hughes

Hoje em dia a Netflix investe pesado em suas produções originais. Com orçamentos gigantescos, dezenas de filmes novos entram na plataforma todo mês.

Mesmo assim, em meio a tantos lançamentos, há quem prefira mergulhar no melhor do que o cinema do séc. XX tenha para oferecer. Então hoje nós trouxemos uma breve lista com 10 filmes clássicos para você assistir na locadora vermelha.

1 – Psicose (Alfred Hitchcock, 1960)

Sinopse: Marion Crane é uma secretária que rouba 40 mil dólares da imobiliária onde trabalha para se casar e começar uma nova vida. Durante a fuga a carro, ela enfrenta uma forte tempestade, erra o caminho e chega em um velho hotel. O estabelecimento é administrado por um sujeito atencioso chamado Norman Bates, que nutre um forte respeito e temor por sua mãe. Marion decide passar a noite no local, sem saber o perigo que a cerca.

Um dos maiores clássicos não só da carreira estelar de Alfred Hitchcock como de toda a história do cinema. Uma narrativa extremamente tensa e angustiante que aborda psicopatia em relações maternais. Para quem gosta de um bom suspense com pitadas generosas de bizarrice esse filme é uma ótima pedida.

2 – Era Uma Vez No Oeste (Sergio Leone, 1968)

Sinopse: Em virtude das terras que possuía serem futuramente a rota da estrada de ferro, um pai e todos os filhos são brutalmente assassinados por um matador profissional. Entretanto, ninguém sabia que ele, viúvo há seis anos, tinha se casado com um prostituta de Nova Orleans, que passa ser a dona do local e recebe a proteção de um hábil atirador, que tem contas a ajustar com o frio matador.

Um dos melhores (se não for o melhor) diretores de velho oeste de todos os tempos, Sergio Leone também marca presença na nossa lista. Em dos seus filmes mais aclamados ele traz uma história extremamente conectada com o mito de criação estadunidense. Com um uso espetacular dos recursos narrativos, ele confere uma linguagem única para um gênero tão explorado nos anos 50/60.

3 – Fuga De Alcatraz (Don Siegel, 1979)

Sinopse: Um prisioneiro com um grande histórico de fugas é mandado para Alcatraz, a penitenciária de segurança máxima mais brutal e infame dos EUA para cumprir o resto de sua sentença.

Esse aqui vai para os fãs de Clint Eastwood! Fuga de Alcatraz é um dos maiores clássicos do cinema de prisão, ele passa devagar mas demonstra o êxito e a inteligência dos indivíduos que realmente fugiram da cadeia mais segura do mundo.

4 – Tubarão (Steven Spielberg, 1975)

Sinopse: Um terrível ataque a banhistas é o sinal de que a praia da pequena cidade de Amity virou refeitório de um gigantesco tubarão branco, que começa a se alimentar dos turistas. Embora o prefeito queira esconder os fatos da mídia, o xerife local pede ajuda a um ictiologista e a um pescador veterano para caçar o animal. Mas a missão vai ser mais complicada do que eles imaginavam.

Com o primeiro blockbuster de todos os tempos, Steven Spielberg cria ao mesmo tempo um filme de terror, monstro e praia. Seu sucesso avassalador rendeu diversas sequências e toda uma leva de filmes com tubarão. O diretor é um mestre em criar filmes extremamente rebuscados mas que ainda conseguem falar com o grande público e aqui não é diferente.

5 – Monty Python Em Busca Do Cálice Sagrado (Terry Gilliam e Terry Jones, 1975)

Sinopse: O Rei Arthur está à procura de cavaleiros que possam acompanhá-lo em uma importante jornada: a busca do Santo Graal. Sir Lancelot, o Bravo; Sir Robin, o Não-tão-bravo-quanto-Sir Lancelot; Sir Galahad, o Puro e outros cavaleiros se dispõem a participar da busca real. O longa satiriza diversos eventos históricos ocorridos na Idade Média.

A lenda arturiana é uma das histórias medievais mais reverenciados em toda a cultura pop. Aqui, o grupo britânico eleva essa referenciação para uma odisseia cômica pela formação histórica da Inglaterra. Com um humor besta o suficiente para dar a volta e se tornar bom, eles parecem saber exatamente como construir a piada agregando todos os fatores possíveis de um filme, desde a parte técnica até a lírica.

6 – Ghost In The Shell: O Fantasma Do Futuro (Mamoru Oshii, 1995)

Sinopse: O mundo, em 2029, se tornou um local altamente informatizado, a ponto dos seres humanos poderem acessar extensas redes de informações com seu ciber-cérebros. A agente cibernética Major Motoko é a líder da unidade de serviço secreto Esquadrão Shell, responsável por combater o crime. Motoko foi tão modificada que quase todo seu corpo já é robótico. De humano só teria sobrado um fantasma de si mesma.

Prestigiando um pouco do cinema oriental, Ghost In The Shell é uma obra transcendental dentro da ficção científica. O filme que, por exemplo, contribuiu imensamente para a criação do universo de Matrix, além de ser bem curtinho também traz algumas discussões bem interessantes. Dramas de identidade, ação governamental e manipulação conspiratória são alguns dos temas que ele resvala.

7 – Os Embalos De Sábado À Noite (John Badham, 1977)

Sinopse: Tony Manero, um jovem do Brooklyn e um excelente dançarino de disco music, só encontra significado na vida quando dança, pois passar a semana trabalhando em uma loja de tintas não o gratifica de forma nenhuma. Assim ele se perfuma, se veste de um jeito fashion e vai para a discoteca no final de semana. Sob a influência de seu irmão, um padre frustrado, e de Stephanie, sua parceira de dança, começa a questionar a maneira como encara a vida e a limitação de suas perspectivas. Paralelamente Tony vive uma crise amorosa, enquanto se prepara para participar de um concurso em uma discoteca.

Um retrato da sociedade norte americana da época Disco que reflete muito bem a superficialidade dos prazeres em decorrência de uma vida embasada no trabalho. Embalos De Sábado À Noite é uma inflexão muito eficaz e profunda do que os passos de dança magistrais do John Travolta.

8 – Clube Dos Cinco (John Hughes, 1985)

Sinopse: Em virtude de terem cometido pequenos delitos, cinco adolescentes são confinados no colégio em um sábado, com a tarefa de escrever uma redação de mil palavras sobre o que pensam de si mesmos. Apesar de serem pessoas completamente diferentes, enquanto o dia transcorre eles passam a aceitar uns aos outros, fazem várias confissões e tornam-se amigos.

Um clássico adolescente dos anos 80 que reascendeu sua fama alguns anos atrás. Clube Dos Cincos fala sobre abraçar as diferenças e esboça como funcionam as complicadas relações escolares, trazendo a tona a imagem e o “status” em detrimento da personalidade e do respeito pelo próximo. Do mesmo diretor de Curtindo A Vida Adoidado, Clube Dos Cinco tem tudo de bom que os anos 80 pode oferecer.

9 – Forrest Gump – O Contador de Histórias (Robert Zemeckis, 1994)

Sinopse: Quarenta anos da história dos Estados Unidos, vistos pelos olhos de Forrest Gump, um rapaz com QI abaixo da média e boas intenções. Por obra do acaso, ele consegue participar de momentos cruciais, como a Guerra do Vietnã e Watergate, mas continua pensando no seu amor de infância, Jenny Curran.

Robert Zemeckis é O nome dos anos 80/90. Com filmes surpreendentemente tocantes e que marcaram época ele é preciso na hora de transformar imagens em emoções. De fato a visão comercial de suas obras é bem atiçada, mas ainda assim isso não limita o filme. Forrest Gump é um passeio pelos principais acontecimentos do séc. XX com o olhar despretensioso do especial Forrest! Não há motivo para não assistir tudo que o Tom Hanks já tenha feito.

10 – O Poderoso Chefão (Francis Ford Coppola, 1972)

Sinopse: Em 1945, Don Corleone é o chefe de uma família mafiosa italiana de Nova York. Ele costuma apadrinhar várias pessoas, realizando importantes favores para elas, em troca de favores futuros. Porém, uma máfia rival resolve levar o tráfico de narcóticos para a cidade e Vito Corleone não facilita essa entrada, nem com ajuda policial, nem política. A família passa então a sofrer atentados e seu filho Michael, um capitão da marinha muito condecorado que há pouco voltou da 2ª Guerra Mundial decide ajudar seu pai protegendo seu legado.

Quando pensamos em filmes clássicos, O Poderoso Chefão é o expoente máximo! Uma amálgama de diversos acontecimentos reais da máfia italoamericana e que evidencia o pior do ser humano. É até difícil falar algo de uma obra tão gigantesca, a riqueza na atuação e a viagem pela criação de um monstro insensível são só alguns dos pontos que tornam esse filme único. Inclusive, vai ser possível acompanharmos essa criação no novo filme com Oscar Isaac, Francis and The Godfather.
Essa foi a nossa lista e espero que se deliciem com essa bagatela de filmes!

Para quem ja assistiu, rever é sempre uma opção. Para quem nunca viu, pode ser uma porta de entrada para a vastidão cinematográfica fora das grades da atualidade.

Estudante de rádio, tv e internet completamente apaixonado por cinema, literatura e qualquer outra forma de arte. Gosta de contar histórias e tem sérias dificuldades de falar sobre si mesmo em terceira pessoa.

PUBLICIDADE
comentários