Design sem nome

Resenha | Phasma

Delilah Dawson desvenda o mistério por trás da misteriosa capitã cromada e nos leva a uma viagem no coração da Primeira Ordem.

O livro foi lançado em janeiro de 2019 pelo selo geek da editora Universo dos livros. Escrito por Delilah S Dawson, ele desvenda o mistério em torno da intrigante capitã da primeira ordem.  Além de Phasma, a autora é responsável por diversas outras obras dentro do universo expandido de Star Wars como Galaxy’s Edge: Black Spire e Star Wars:The Perfect Weapon. 

Star Wars Phasma

Seguindo o modelo de diversos romances do universo expandido, a história de Phasma é dividida em duas linhas temporais: o presente – protagonizado pela espiã da resistência Vi Moradi – e o passado – dez anos antes dos eventos de “O despertar da força” – época em que se a história da temida capitã.

Ainda no começo da história, Vi é sequestrada por Cardeal, um capitão da primeira Ordem que tem Phasma como sua maior inimiga. Seu objetivo é extrair da espiã informações que possam incriminar a capitã,através de tortura e tirar seu prestígio diante da primeira ordem. É a partir deste interrogatório que começa a odisseia do leitor através da vida de uma das personagens mais enigmáticas da nova trilogia de Star Wars.

“- Você é Vi Moradi, Codinome Starling, conhecida espiã da Resistência e tem exatamente a informação de que preciso
– E você é o grande botão vermelho. O que acontece se eu apertar você no peito? Por acaso a luz acende em algum lugar? Alguma coisa explode?”

Antes de ser uma parte crucial da primeira ordem, Phasma viveu no hostil planeta Parnassos junto de seu irmão Keldo, com a tribo dos Scyre. Por dois anos os dois dividiram o trono da tribo, harmonizando as habilidades implacáveis de Phasma para a guerra e a sabedoria de Keldo. Como líder, a guerreira queria mais para o seu povo que vivia com escassez de água, comida, morria em chuvas ácidas e de doenças desconhecidas. Para ela, dominar as tribos próximas era a solução que traria melhorias, mas para o seu irmão o ideal era que as tribos vivessem em paz em seus cantos.

A divergência de ideias entre os irmãos veio à tona com a chegada acidental de Brandol Hux em Parnassos. Convencida de que ajudar o homem e ir com ele para as estrelas era a melhor opção, Phasma junta seu mini exército de guerreiros fiéis, deserta de sua tribo e parte para o desconhecido em busca de uma vida melhor.

“Por seus papéis muito diferentes naquela nova paz, Phasma e Keldo foram celebrados como heróis. Porém, para Phasma, não era paz. Era uma traição. Talvez ela tivesse omitido seus planos de Keldo mas ele havia se oposto a ela declaradamente e depois a desprezado, ela não esqueceria”

Para os fãs que se decepcionaram com a falta de atenção dada à personagem, o romance de Delilah é um verdadeiro presente. A história possibilitou que os amantes da saga preenchessem diversas lacunas dentro dos filmes da trilogia sequel, além de desvendar os mistérios por trás da máscara cromada da temível capitã.

A primeira coisa a se ressaltar é a habilidade de escrita de Dawnson. Apesar de o livro ter duas histórias ocorrendo paralelamente, a leitura flui facilmente de um modo que torna impossível se perder enquanto lê. Durante diversas partes do livro somos surpreendidos com uma aflição daquelas que só um bom livro de ação podem proporcionar. A autora fez questão de deixar o destino de seus personagens incertos até o ultimo momento. Sua destreza na hora de escrever transforma qualquer cena corriqueira e enfadonha em algo excepcional, o que deixa o leitor mais instigado em continuar a leitura.

Sua dedicação com seus personagens é outro fator positivo para a leitura. No livro de Delilah não existem personagens figurantes. Cada personagem é de extrema importância e cada ação executada por cada um deles é essencial para que o leitor entenda as decisões da personagem principal.

star wars 7 force awakens captain phasma hi res e1446317774993 1

Além de exaltar o protagonismo feminino, Phasma é uma dádiva aos fãs de um modo geral. É nele que conhecemos como funciona a sistemática Primeira Ordem, comandada por Kylo Ren e Armitage Hux (filho de Brandol Hux). A autora deu detalhes de como os stormtroopers são preparados desde pequenos para servirem em batalhas e de como a Primeira Ordem deteve tanto poder em um tempo tão curto.

Usando a história do Cardeal que foi achado por Brandol Hux em Jakku enquanto passava fome e foi transformado em alguém importante – Delilah nos faz refletir o quanto grandes organizações se beneficiam e fortalecem do sofrimento alheio.

No decorrer da história percebemos que a devoção de Cardeal à primeira ordem se dá ao fato de ele achar que a nova república favorece apenas aos planetas mais ricos, deixando lugares como Jakku esquecidos.

“As outras crianças eram cruéis, os adultos piores. É isso que a sua nova república faz: ignora os pobres planetas periféricos e despeja dinheiro só nos planetas ricos que podem se dar ao luxo de ter uma voz no senado. Quem em nome de Jakku? Ninguem. Quem falou em nome do menino que eu era? Ninguém”


A discussão fica mais evidente ao fim do livro quando percebemos que Phasma, deslumbrada com o poder e luxo da primeira ordem, deixa para trás todos os seus princípios iniciais de salvar sua tribo e se deixa levar pelas promessas de luxo e poder feitas por Hux.

No decorrer do livro vemos uma líder nata, empenhada em ajudar seu povo, se transformando em um robô da primeira ordem, que segue ordens de um general sem questionar. A autora foi meticulosa ao retratar a mudança de Phasma diante da história para mostrar até onde nos leva a sede pelo poder.

É possível perceber uma familiaridade com nossa atualidade onde as pessoas se  corrompem, pois sofrem com descaso de algum governo.

images

“(…)Ela havia se tornado a Capitã Phasma da Primeira Ordem e nada poderia impedi-la”

O fator que leva Phasma a ser um livro único ,dentro do universo expandido, é o fato de a história ser protagonizada, quase que totalmente, por mulheres. Sendo um mundo que até pouco tempo atrás era praticamente dominado por homens. Histórias como a de Phasma são necessárias para trazer representatividade para as gerações mais novas e quebrar o padrão onde mulheres são retratadas de maneira sexualizada ou são usadas como donzelas indefesas.

Ao nos apresentar a Vi, Gosta, Siv e outras mulheres da saga, a autora nos deixa a mensagem de que podemos ser o que quisermos: guerreiras, mães, diplomatas, lutadoras e mulheres sem receios.

Embora Phasma seja a antagonista de sua própria história, é um exemplo para todas as mulheres pois, apesar de tudo, lutou pelo que ela queria e não deixou que o sexismo a impedisse de nada.

Escritoras como Delilah são necessárias na comunidade Geek pois mostram que, apesar do machismo ainda ser muito presente, não temos mais que ter medo de represália sexista pois ali também é nosso lugar.

Temos direito e DEVEMOS impor nossa presença, nossas opiniões e não precisamos nos encolher para caber em comunidades geeks.

Total
0
Shares
Previous Article
coringas

Prévia de Três Coringas é revelada

Next Article
jungle cruise

Jungle Cruise da Disney tem trailer cheio de ação pela Amazônia

Related Posts