Roteirista da Liga da Justiça pediu que a Warner removesse o seu nome do filme

Chris Terrio, vencedor do Oscar de melhor roteiro por Argo, disse que pediu que seu advogado obrigasse a Warner e remover o seu nome do filme.

Chris Terrio, roteirista dos filmes Batman vs Superman e Liga da Justiça falou abertamente sobre as situações envolvendo o filme, e curiosidades jamais contadas a revista Vanity Fair.

Ele descreveu os filmes que a Warner Bros. lançou nos cinemas em 2016 e 2017 como erros incoerentes, minados pela intromissão corporativa, planejamento de franquias pobres e decisões surdas de tom que priorizavam sequências caras de VFX sobre narrativas coerentes.

Terrio acredita que os cortes do diretor de Zack Snyder são muito mais fortes, se ainda imperfeitos — ele consegue aceitar melhor as críticas por serem seus trabalhos originais.

O roteirista começa dizendo que críticos vão achar qualquer motivo para suprimir suas obras quando não gostam do filme, sendo assim ele citou o exemplo da Lois Lane.

“Lane: “Eles não me disseram que a entrevista era com uma senhora”. E Lois responde: “Eu não sou uma dama, sou uma jornalista.” Então, um críticop manteve essa linha como prova positiva da minha estupidez e da minha incapacidade de escrever Lois, ou de escrever.

Bem, a personagem de Lois no filme foi inspirada na jornalista Marie Colvin, que foi naturalmente morta na Síria. Ela foi uma das jornalistas mais intrépidas que já viveu, na minha opinião. E há uma história na Vanity Fair, “Marie Colvin’s Private War” [de Marie Brenner], e a linha que Lois diz é quase exatamente a linha que estava naquele artigo, onde um senhor da guerra checheno disse que não apertaria a mão dela porque ela era uma mulher. Marie Colvin respondeu: “Não há mulher nesta sala, apenas uma jornalista.” Então essa fala foi minha homenagem a ela. Mas então, na pilha, uma linha como essa é considerada uma prova positiva de que eu não entendo nem mulheres, jornalistas ou seres humanos, e que eu sou um escritor de merda.. Mas eu não os culpo totalmente”

O escritor também disse que já era uma decisão da Warner tornar o Batman mais violento.

O estúdio parecia querer tomar essa posição depois de BvS, dizendo que minha escrita era muito sombria e que este era o problema deles. Mas o que eles não mencionaram foi que, por exemplo, no rascunho do roteiro de Batman/Superman que a WB. havia desenvolvido — o rascunho que me foi entregue quando entrei no projeto — o Batman não estava apenas marcando criminosos com uma marca de morcegos, ele também terminou o filme marcando Lex Luthor

Terrio termina dizendo que tentou remover o seu nome dos créditos do filme Liga da Justiça após assistir, mas isso envolveria uma polemica enorme.

Eu estava em L.A. na época trabalhando em Star Wars [A Ascensão de Skywalker]. Eu estava no lado oeste de Los Angeles trabalhando com J.J. [Abrams] na época, e eu dirigi até o estúdio e me sentei e assisti algumas semanas antes do lançamento. Imediatamente liguei para meu advogado e disse: “Quero tirar meu nome do filme.” [O advogado] então ligou para a Warner Bros. e disse-lhes que eu queria fazer isso.

O roteirista não prosseguiu com o pedido, porque envolveria modificar todas as copias que já estavam sendo distribuídas para o cinema.

A Warner não quis se manifestar sobre as declarações do roteirista Chris Terrio.

Total
1
Shares
Related Posts
Total
1
Share